A dignidade nos relacionamentos amorosos

Atualizado: Mai 7


A questão principal não é se tens um relacionamento, mas que tipo de relacionamento tens.

Tens um relacionamento em equilíbrio entre o que dás e o que recebes?

O teu relacionamento é recíproco no sentimento?

Os comportamentos existentes no teu relacionamento são adequados à tua filosofia de felicidade?

A pessoa com quem te relacionas trata-te bem?

E tu, tratas bem a pessoa com quem estás?

Existe reciprocidade no teu relacionamento?



Neste artigo, vamos falar sobre a dignidade nos relacionamentos, o que de certa forma se encaixa com o artigo anterior, em que falamos da auto-estima baseada nos relacionamentos.

Primeiramente, é muito importante definir de forma muito clara o que á a dignidade.


Começo então com esta pergunta. Para ti, o que é a dignidade?



É muito importante que tenhas bem consolidado que a dignidade é o valor que tens como Ser Vivo, adquirido automaticamente à nascença, sem importar a tua condição sócio-económica.

A dignidade, como é adquirida a partir do momento que nasces, nunca te poderá ser retirada de ti!


Neste conceito, a dignidade é inseparável de ti, e sempre que sentires que a perdes, é porque tu própria a entregaste a alguém.

E nesta linha de raciocino, sempre que entregas a tua dignidade a alguém, perdes o teu valor, pois como anteriormente mencionei, a dignidade é o valor que tens como Ser Vivo!

É indispensável preservares a tua dignidade, pois sempre que a entregas estás a abdicar da tua integridade e da tua identidade!



Quando entregas a tua dignidade?

Entregas a tua dignidade sempre que insistes viver em relações abusivas e humilhantes!



E como entregas a tua dignidade?

Para te responder concretamente a esta questão, vou ser o prático e enumerar atitudes e comportamentos bastante comuns que te levarão a reflectir sobre o quanto, subtilmente, entregas a tua dignidade ao outro.


  1. Sempre que recebes agressões, maus tratos físicos e psicológicos.

  2. Sempre que insistes em querer estar com quem não te quer.

  3. Sempre que dormes com quem não tem interesse pelos teus sentimentos.

  4. Sempre que suplicas por amor, carinho, afectos, bons tratos.

  5. Sempre que insistes em enviar mensagens que não recebes feedback.

  6. Sempre que deixas de ser tu para que o outro te aceite.

  7. Sempre que partilhas o teu corpo sem partilhares sentimentos.

  8. Sempre que estás com alguém que só que quer em parte da sua vida.

  9. Sempre que suprimas os teus desejos, necessidades e pedidos por medo de não seres aceite.

  10. Sempre que deixas que alguém controle o que comes e o que vestes.

  11. Sempre que alguém queira controlar as tuas amizades.

  12. Sempre que és a segunda escolha de alguém.

  13. Sempre que deixas que alguém não aceite a tua forma de pensar e os teus ideais de vida.

  14. Sempre que alguém queira inibir a tua expressão.

  15. Sempre que aceites situações que te façam viver uma vida incompleta.

  16. Sempre que queres agradar ao outro indo contra aquilo que sentes.

  17. Sempre que anulas os teus objectivos e realizações pessoais em função do outro.

  18. Sempre que suportas insultos e faltas de respeito.

  19. Sempre que deixas os teus compromissos pelo outro.

  20. Sempre que investes o teu tempo e gastas o teu dinheiro com quem não te sabe apreciar.

  21. Sempre que não negoceias o que sentes estar em desequilíbrio no relacionamento.

  22. Sempre que alguém ridiculariza as tuas opiniões e pontos de vista e tu calaste ou até dás razão ao outro por medo.

  23. Sempre que alguém utiliza o sarcasmo contigo.

  24. Sempre que recebes constantes ameaças de abandono ou castigos e baixas a cabeça por medo.

  25. Sempre que aceitas algo humilhantes a troco do que queres.

  26. Sempre que te calas perante uma injustiça.

  27. Sempre que ajudas o outro quando tu já estás há muito tempo a precisar de ajuda.

  28. Sempre que te renuncias em benefício do outro.


Perante o exposto, quantas vezes entregas a tua dignidade?

Em que momentos entregas a tua dignidade?

O que está por detrás dos teus comportamentos em que te reduzem a tua dignidade?


Em breve concluirei este artigo com a segunda parte, falando as atitudes desajustadas mais comuns e partilharei uma técnica que te permitirá recuperares a tua dignidade,caso a tenhas entregue em alguma circunstância.



Pedro Gomes - Desenvolvimento Humano de Comunicação Emocional

+ Life Coach (célula profissional Nº S495-2017PT), Instituto Ciências Comportamentais e de Gestão, Porto Portugal

+ Especialista em PNL com especialização em foco terapêutico e emocional, Instituto Ciências Comportamentais e de Gestão, Porto Portugal

+ Formador certificado, Instituto Emprego e Formação Profissional, Porto Portugal

+ Especialista em Inteligência Emocional, Universidad Isabel I, Burgos España

+ Master em Psicologia Holística, Escuela de Postgrado de Psicología y Psiquiatría, Madrid España

+ Especialista em Sinergologia Aplicada à Comunicação, Coaching Camp Logroño Espanha

+ Especialista Inteligência Emocional Neurociência VEC, Emotional Network, Bilbao España

106 visualizações