Gabinete dos sentimentos - Deixei de sonhar com um amor...

Já há algum tempo que deixei de sonhar com um amor…

Acredito que não é para mim ter um relacionamento. Pelo menos não nesta vida.

Passei por várias experiências difíceis e os homens fazem-me sempre sofrer.

Todas as pessoas com quem me relacionei intimamente quebraram a minha confiança e magoaram-me…

Já não consigo confiar em ninguém e estou sempre á espera do pior das pessoas…

Gosto de estar sozinha! Aprendi a estar sozinha, mas também sinto falta de ter alguém….

Pela noite, ás vezes tenho muita dificuldade para adormecer, pois sinto falta de um aconchego e de um carinho...

Já fiz terapia, mas mesmo assim esta sensação continua aqui.





Desconheço que terapia fez e quais os métodos que foram utilizados, mas os seus pensamentos estão contaminados pelo pessimismo e as suas palavras esmorecem a cada frase que profere.


Sonhar com um amor, é legitimo e enriquecedor e é um bom começo para que vibremos numa energia de atracção.


Mas como eu disse, é apenas um começo. É imperativo fazer algo mais!

O Ser Humano não está programado para estar sozinho.

Carece de companhia em todos os âmbitos emocionais – família, amigos e amor.

O Ser Humano está programado para viver em interdependência - isto é, a independência de cada pessoa depende de várias pessoas e estruturas sociais, pelo que somos feitos para viver em conjunto. No amor acontece o mesmo, é invariável!




As experiências amorosas que viveu, certamente lhe trouxeram benefícios, como aprendizagens. Na pior das hipóteses ficou a saber o que nunca mais vai tolerar num relacionamento amoroso!

As experiências, por muito árduas que sejam, são sempre uma fonte de riqueza.

Nessa fonte, podemos extrair muita consciência através de uma boa e estruturada reflexão!

Pode aprender quais as suas reais limitações a nível comportamental, emocional e psicológico.

É importante descobrir quais as estruturas internas que estão a desfavorece-la, e a partir desses parâmetros de auto-conhecimento pode criar novas aventuras com maior audácia e astúcia interna!





Sobre a confiança, a partir do momento que alguém quebre a sua confiança, é decisão sua escolher se e de que forma se quer relacionar com essa pessoa!

É importante entender que se confiar em si mesma e na sua protecção, nada a afectará de forma permanente.

Para sabermos se podemos confiar numa pessoa teremos que arriscar – dar o benefício da dúvida.

Sobre a protecção, esta só existe se houver uma preparação do seu interior.

Note que protecção é diferente de defesa – a defesa implica um ataque e a protecção é a preparação para eventuais cenários indesejados.

Quando estamos protegidos, dificilmente somos atacados.




É óptimo ter aprendido a estar sozinha, pois ao saber viver sozinha, quem entrar na sua vida vai entender melhor como viver ao seu lado!


Um relacionamento saudável passa também por cada uma das pessoas aprendem a viver sozinhas.


Nisto, ao viverem juntas saberão gerir melhor todas as situações e desafios conjuntos.

Se convive bem consigo mesma, é natural que quem chegue á sua vida vá conviver consigo de forma mais agradável, tranquila e satisfatória.

Note sempre que pode estar muito preparada, mas é importante ter em atenção que a outra pessoa também precisa estar preparada para que um relacionamento seja bem-sucedido, ou pelo menos, estar aberto para crescer e melhorar!

Mas… há pouco disse-me que não consegue confiar em ninguém e que espera sempre o piro das pessoas, além de que me disse que está magoada porque a magoaram.

Nesta linha de pensamento, como vive bem consigo mesma?





Em relação às noites em que sente a falta de contacto, de carinho e aconchego, é natural que assim seja. Todos gostamos de carinho, de afecto e de um aconchego.

É algo necessário pois somos feitos de matéria e temos disponíveis cinco sentidos, de entre os quais o tacto. E o tacto, tal como todos os outros sentidos, precisa se ser estimulado, accionado e expressado.

De todos os sentidos, o tacto é o mais íntimo, e quando o manifestamos às pessoas fazemos com alguns limites.

Só expressamos o tacto em toda a plenitude com quem nos é muito íntimo, e por isso é natural que sinta a necessidade do toque.



Por fim, é realmente imprescindível focar no seu interior, trabalhando o seu auto-conhecimento e o seu desenvolvimento pessoal com foco para o seu mundo emocional interno. É um trabalho que será desenvolvimento com um seguimento estratégico, tocando em pontos específicos que a vão conduzir a uma expansão pessoal no campo dos relacionamentos, para que encontre maior satisfação nesta área que tanto deseja.

73 visualizações