Auto-estima baseada nos relacionamentos amorosos - Parte 2

A auto-estima baseada nos relacionamentos amorosos é, como vimos no artigo anterior, uma auto-estima desprovida de bases sólidas, prontas a desmoronar a qualquer tempestade que se atravesse.

Além das crenças já mencionadas anteriormente, existem duas atitudes subtis e muito comuns, baseadas no medo, que podem ser indicadores de uma auto-estima pouco apetecível nos relacionamentos. São eles:

  1. Dependência das reacções do outro para a pessoa se sentir bem (como uma criança que, perante um sorriso dos pais pensa que “fez bem”, mas que perante uma cara de revolta dos pais pensa que “fez algo mal”).

  2. Aprovação de si mesma a partir da busca de sinais linguísticos no outro para se sentir valorizada e amada (a pessoa que procura a aprovação recebe a aprovação que procura, sente-se valorizada, mas se não recebe essa aprovação fica transtornada. É o chamado reforço da acção realizada, normalmente percebida por palavras “tu amas-me?”, “o quanto me amas?” “Amas-me de verdade?”, “desculpa incomodar-te, mas estás muito atrasado…”, “podemos mesmo ir jantar ao restaurante? A sério que não te importas?”, “eu fiz desta maneira por ti”, “achas mesmo que sou bonita?”, “gostaste mesmo?”)

De facto, a dependência emocional e a constante aprovação com base emocional, são duas atitudes sintomáticas de uma baixa auto-estima encoberta por um relacionamento que mais tarde poderá abrir todas as fendas.



O romantismo num relacionamento amoroso é algo que perfuma e dá brilho ao mundo do amor, mas quando alguém te diz que “és o ar que respiro”, “és o sangue que corre pelas minhas veias”, “és o melhor que a vida me ofereceu”, “sem ti não sou nada”, “és a minha vida”, entre outras expressões catalogadas como românticas, o mais adequado é participarem em conjunto (porque um relacionamento é uma parceria) num processo de desenvolvimento da auto-estima com a ajuda de um profissional especializado em relacionamentos e comunicação emocional, pois o mais provável é que estejas em frente a uma pessoa ansiosa, que não te saberá amar pela necessidade que tem de ti para suprir a sua baixa auto-estima, o que resultará num relacionamento conflituoso.

Deixo aqui um teste básico baseado em 10 perguntas, em que apenas terás que responder SIM ou NÃO.

É muito importante que respondas em consciência, isto é, que respondas pelo que realmente é, observando todo o teu passado mais recente até ao dia de hoje.

Não respondas o pelo que devia de ser correcto, pois só estarias a enganar-te.

Comecemos:


1. Quando estás num relacionamento amoroso, pensas muito e tens muito medo da possibilidade que termine?

2. Quando estás sozinha sentes que ninguém te quer, que não és interessante como as outras pessoas?

3. Estás constantemente a procurar sinais de aprovação ou reprovação junto das pessoas que admiras?

4. Se não tens um relacionamento amoroso ou se tens um relacionamento amoroso problemático, não és capaz de desfrutar das coisas boas que a vida te oferece, como um pôr do sol?

5. Sentes que, por mais que a pessoa te diga que te ama, a pessoa pode abandonar-te ou trocar-te por outra?

6. Se não sentes a outra pessoa sempre feliz, pensas que isso poderá ser um sinal que o relacionamento estará frágil e terminará?

7. Quando estás com uma pessoa que sentes que te ama muito, isso faz-te sentir em paz sem que te importes com mais nada (dinheiro, saúde, família)?

8. Tens medo da possibilidade de ficares sozinha para sempre?

9. Quando estás num relacionamento, sentes que és uma pessoa com muita sorte?

10. Quando estás num relacionamento, tens medo que um dia tudo pode acabar por tua culpa?

Terminaste?

Então, se tens três ou mais respostas SIM, a tua auto-estima é baseada nos relacionamentos amorosos que tens!

É importante que saibas que a grande maioria dos relacionamentos amorosos termina quando não há uma abertura emocional e uma expressão comunicacional adequadas ao relacionamento, normalmente fruto da insegurança e da ansiedade pessoal.

Deixo aqui mais alguns sinais que podes identificar como baixa auto-estima no relacionamento:

  • Fazes um pequeno almoço e ele não come tudo, então pensas que ele não gostou.

  • Vocês vão ver um filme e estás mais atenta à cara dele do que propriamente ao filme, pois é importante que ele goste do filme.

  • Pensas que a pessoa com quem estás pode estar a sair com outras pessoas, sem teres qualquer argumento válido.

  • Duvidas que a pessoa goste de ti, sem teres nenhum argumento válido.

  • A pessoa dá-te alguma sugestão de melhoria e tomas isso como uma critica.

  • Ele diz que não gosta que chores “por tudo e por nada” e pensas que és uma “dramática”.

  • A possibilidade do teu relacionamento amoroso terminar afecta a tua saúde.

  • Se a pessoa com quem estás quiser terminar, entendes isso como ingratidão.

Depois de tudo isto, certamente tens dados para fazeres uma boa reflexão acerca da tua auto-estima, adquirindo um pouco de consciência se vives o relacionamento amoroso por necessidade ou porque simplesmente queres.

Eu posso viver sem ti, posso ver filmes sozinho, posso sorrir e divertir-me, estar com amigos, ir à praia sozinho, sentir ao fluxo da vida sem ti, ir a festas, viajar sozinho, fazer novas amizades, estudar e ler, inspirar-me sem ti, concretizar projectos sem ti, divertir-me e passear. Não preciso de ti para nada, mas estou certo de que te quero para tudo!


Pedro Gomes - Desenvolvimento Humano de Comunicação Emocional

+ Life Coach (célula profissional Nº S495-2017PT), Instituto Ciências Comportamentais e de Gestão, Porto Portugal

+ Especialista em PNL com especialização em foco terapêutico e emocional, Instituto Ciências Comportamentais e de Gestão, Porto Portugal

+ Especialista em Inteligência Emocional, Universidad Isabel I, Burgos España

+ Master em Psicologia Holística, Escuela de Postgrado de Psicología y Psiquiatría, Madrid España

+ Especialista em Sinergologia Aplicada à Comunicação, Coaching Camp, Logroño Espanha

+ Especialista Inteligência Emocional Neurociência VEC, Emotional Network, Bilbao España

0 visualização