SEMINÁRIO COIMBRA 2019


A dor quando é evitada vive naquela nossa parte conformada. O confronto é uma das principais armas para abalar a inconsciência. A inconsciência é um veneno que sobrevive pelo alimento do desfoque interior face ás automatizações que interiorizamos do que nos rodeia. Essas interpretações são apenas a nossa realidade, que é diferente para cada pessoa com quem partilhamos contextos e ambientes em tempo real. Um determinado acontecimento é interpretado de maneiras diferentes por diversas pessoas, envolvendo para isso um determinado programa interno resultante de crenças, valores, memórias e emoções sentidas muitas vezes face a essas mesmas memórias.

O seminário de ontem foi, mais uma vez intenso e impactante interiormente para quem decidiu interiorizar-se em si mesmo. O resultado é apenas sentido por cada participante e esse sentimento é inegável para si mesmo, por muito que possa ser negável para o exterior. A interpretação de nós mesmos é a principal ferramenta que podemos adquirir, pois ninguém poderá mostrar a felicidade a um alguém que vive no meio da infelicidade interna. Mostrar a felicidade a quem vive na infelicidade é actuar com o ego. Ajudar a encontrar chaves que permitam libertar a infelicidade é actuar com amor.

Deixo um profundo agradecimento a todos os participantes do seminário de Coimbra, pois todos eles tiveram um contributo importante na minha vida, mais profundo do que possam imaginar. O meu desejo é que cada um dos participantes tenha saído com um pouco mais de consciência sobre pontos de melhoria interna. E acredito profundamente que conseguiram mais um ponto nas suas caminhadas!

No último exercício tenho profunda convicção de que alguns ficaram a entender o caminho da aceitação. A aceitação de que nós não somos o que fazemos, mas sim o vácuo da nossa essência. A aceitação de que não existem pessoas más, mas sim pessoas com sentimentos. Acredito que algumas pessoas aprenderam um pouco mais a aceitarem a si mesmas depois do alívio do impacto de uma consciência do inconsciente. Acredito que algumas pessoas entenderam um pouco toda a sua estruturação mental quando conseguiram ligar e organizar essa mesma estrutura. A partir daí considero que honrei a minha missão de vida: Consciencializar Consciências.


Não pretendo contribuir para um mundo que anestesia pessoas através de uma falsa positividade. Pretendo sim contribuir ajudando na consciencialização de consciências, e considero que na maioria das vezes o caminho é a provocação interna através da intensidade e do alimento de um auto confronto interno.

0 visualização