Diferença entre "baixa" e "alta" Auto Estima Alta

Antes de tudo, é importante ter em conta que as palavras "baixa" e "alta" auto-estima, é apenas uma forma de medir a auto-estima na sociedade, pelo que pode ser incorrecto utilizar estas palavras de ânimo leve.

Auto-estima é a estima por nós mesmos. Perante isto, cada pessoa decide escolher como decide cuidar-se.

Ninguém tem o direito de avaliar ninguém na questão da Auto Estima, pois cada pessoa faz a sua própria avaliação.

Se entenderes que queres fazer uma avaliação do teu estado de estima interna, contacta um profissional devidamente especializado e actualizado, para que obtenhas uma correcta auto-avaliação.


Podemos considerar que Auto Estima é uma conduta orientada para o bem estar e o equilíbrio de tudo o que compõe a vida de cada Ser Humano.

Se assim o é, naturalmente importa considerar de que cada individuo é único e singular, pelo que cada pessoa terá o seu próprio estilo e filosofia acerca de como constrói a sua Auto Estima.

Cada pessoa é responsável por encontrar o seu equilíbrio e bem estar que sustenta Auto Estima.


Não existe equilíbrio de vida num individuo que tem a sua auto estima danificada.




Existem aspectos gerais que nos permite fazer uma revisão acerca da estima que temos por nós mesmos.

Uma pessoa com auto-estima saudável destaca-se pelos seguintes pontos:

  • Os pensamentos tendem a ter um redireccionamento positiva, originando a capacidade de entrar nos desafios e realizar tarefas.

  • Existe uma confiança real em si mesmo e nos outros.

  • As actividades são realizadas com autonomia e com iniciativa própria.

  • Os erros e fracassos são acolhidos e aprendidos, levando a uma busca eficaz de soluções.

  • Existe uma tendência natural e equilibrada para a sociabilidade.

  • É natural existir um sentimento de satisfação durante o processo de construção de qualquer objectivo, valorizando-se mais a ação diária que o resultado final.

Quando a auto-estima é saudável, existe um real sentimento e acção de valorização pessoal.


Uma pessoa com débil auto-estima destaca-se pelos seguintes pontos:

  • Medo dos possíveis erros e fracassos.

  • Existe grande desconfiança em si mesmo e nos outros.

  • Os pensamentos são negativos e limitadores, com tendência para as lamentações, as críticas, invejas e incapacidade pessoal.

  • Normalmente existe um isolamento mental e emocional no contexto social.

  • Há tendência para bloqueios perante os desafios próprios, abandonando a criatividade interna e as possíveis soluções.

  • Existe uma vivência diária de desmotivação e a parálise orgânica.

Quando a auto-estima é débil, existe uma desvalorização interna do individuo.





Perante o exposto, podemos considerar que o crescimento pessoal parte de uma base interna, sustentada pela saudável gestão da auto-estima, pois esta base influencia directamente a aprendizagem, as relações pessoais e a própria personalidade.


Portanto, mais do que medicamentos para a depressão e a ansiedade, é importante dedicar e investir tempo na construção interna com pró-actividade, cultivando um bom sentimento de amor próprio, através do desenvolvimento de novos hábitos de vida saudável, a nível cognitivo (pensamento), emocional (emoções favoráveis) e físico (corpo).

0 visualização