top of page

Como conectar com a essência?

Grande parte dos problemas que a Humanidade enfrenta nas últimas décadas, com maior intensidade nos últimos anos, está relacionada com o afastamento que da espiritualidade. Esses problemas são de várias ordens: as guerras, a contaminação ambiental, o excesso de população mundial, os desequilíbrios financeiros, a superficialidade nos relacionamentos amorosos, as crises de identidade pessoal, as confusões com a identidade de género e sexual, as doenças físicas e psicológicas, os vícios de diversas índoles e a despersonalização individual.

É importante reaprendermos a conectar com a nossa essência, para que possamos adquirir novamente a liberdade mental e emocional, que são a chave para a real felicidade e satisfação do coração.



E como conectamos com a nossa essência?

Para conectar com essência, necessitamos viver a espiritualidade composta pelo nosso plano terrestre, criando assim essa tão íntima ligação entre o corpo e a alma.

Existem algumas noções que explanarei, sendo que a sua prática levará à elevação espiritual – a conexão entre o corpo e a alma.




1. Meditação

A meditação é uma das práticas milenares em que, atualmente, a ciência tem algumas respostas acerca da sua funcionalidade, concretamente a nível do uso da respiração e das sensações corporais em relação ao seu efeito benéfico.

O ruído mental (pensamentos e vozes internas) faz com que não nos amemos, não amemos aos outros nem amemos a natureza, e a meditação tem um efeito poderoso na aquietação e no silêncio mental, transportando-nos para o domínio da atenção ou, por outras palavras, a atenção plena no momento da vida, sendo a vida o acontecido a cada interação coordenada entre o interior (corpo e mente) e o exterior (mundo externo).

O domínio da atenção mental faz-nos dirigir a atenção para o presente (sentir a vida), evitando assim o passado (lamentações e depressões) e o futuro (preocupações e ansiedades). E o sentir a vida é unicamente o sentir as sensações que percorrem o nosso corpo, mostrando-nos que estamos vivos.

Viver a vida a sentir reduz a atividade dos circuitos neuronais cerebrais e aumenta a atividade dos circuitos neuronais coronários.


2. Gratidão

A gratidão está já bastante estudada pela ciência. Hoje sabemos que a gratidão ativa circuitos neuronais que estão relacionados com a vibração da abundância e da harmonia. Um simples exercício matinal, ao despertar, recordando e expressando cinco situações boas que temos na nossa vida atual faz-nos entrar nesta vibração.


3. Natureza

Sendo a natureza a mãe da Humanidade, isto significa que somos os seus filhos e, nesta lógica, todos somos irmãos e, se todos somos irmãos, estamos unidos de alguma forma num nível superior. Necessitamos entender que todos beneficiaríamos se estivéssemos unidos num nível terrestre. E um primeiro passo para essa união terrestre passa por respeitarmos e cuidarmos na natureza, algo que nos une e é comum a todos nós, a nossa mãe que nos deu a vida e nos mantém vivos.

Passear na natureza ajuda-nos a conectar com a nossa alma e a despertar a nossa essência, desde que respeitamos a sagrada natureza, cuidando e dignificando a sua beleza e harmonia.


4. Generosidade

A generosidade é o ato de dar ao outro algo de nós ou algo que temos, pois mesmo esse algo que temos contém um pouco de nós. Vivemos num mundo que se tem esquecido de viver em generosidade, pois, no geral, estamos tão superficiais que nos esquecemos dos outros e só pensamos em nós e nas nossas necessidades, tornando-nos imensamente egoístas, e com isso mudamos a nossa vibração energética. Está comprovado que a generosidade evita o isolamento e a depressão, uma das atitudes e doenças mais preocupantes da nossa sociedade.

Tem ato generoso diariamente e mudarás a tua vibração. Tudo o que dás recebes no dobro. Dá algo e recebe uma energia renovada dentro de ti!


5. Cordialidade

Tratar bem os outros, falando-lhes num tom agradável e harmonioso, independentemente da sua forma de pensar, da sua cultura e da sua origem cria em nós mesmos uma agradável sensação que nos alimenta de harmonia, pois tudo aquilo que fazemos ao outro também nos alimenta e, de forma mais profunda ainda, tudo aquilo que fazemos ao outro já está em nós. Por isso, repensa o que queres ter dentro de ti e comporta-te por fora em coerência com o que desejas sentir.


6. Paciência

A paciência é uma das virtudes mais compensadoras e alimentadoras de uma essência pacifica e harmoniosa.

Paciência não é aguentar pessoas nem determinada situação!

Paciência é a atitude de adaptação ao ritmo natural da vida, da evolução das pessoas ao teu redor e das situações à tua volta que sempre são impermanentes.

Falar de paciência faz-nos falar, invariavelmente da lei da impermanência.


7. Sabedoria

Diariamente é lançada e absorvida informação, desde novos conceitos, novas razões e novas soluções para problemas, mas, curiosamente, cada vez mais o geral das pessoas denota uma evolução vivencial desfavorável ou contrária ao que deseja viver. Isto significa que informação não leva ao conhecimento, podendo mesmo levar ao sofrimento! Isto porque a informação trabalha apenas num nível superficial da mente humana, mais concretamente na mente pensante.

Assim, é importante transformar a informação em conhecimento, pois é no conhecimento que está o verdadeiro entendimento para a real aprendizagem. E aprender significa realmente passar pelas etapas do pensar, do sentir e, por último, do fazer. Só na conclusão destas etapas adquirimos a sabedoria, porque a sabedoria está no “sentir na pele”, e para “sentir na pele” é necessário que a mente trabalhe num nível inconsciente para que se dê a criação de novas conexões neuronais, em que de seguida é necessário trabalhar essas conexões através da prática e da repetição.

Aí está a verdadeira sabedoria, na aplicação da informação que consideramos que nos vai transformar a vida.


8. Cuidados Corporais

Sabemos que para podermos conectar com a essência, é necessário criar uma saudável ligação entre o corpo e a alma. Seria imprudente da minha parte não mencionar os cuidados corporais neste artigo, como meio fundamental de viver uma espiritualidade real.

O descanso é um cuidado fundamental que necessita ser valorizado. Hoje sabemos que o descanso mais adequado baseia-se no sono noturno de cinco ciclos seguidos de uma hora e meia cada ciclo, o que faz o total de um descanso noturno de sete a oito horas.

O exercício fisico é também um cuidado importante para uma boa conexão do corpo com a alma, já que é o corpo que alberga a nossa alma, por outras palavras, o corpo é a casa que abriga a alma - todos gostamos de viver numa casa boa, confortável, limpa e cuidada. Dessa forma sentimo-nos mais felizes.

Por ultimo, não menos importante, menciono o cuidado com a alimentação. É importante ter uma alimentação equilibrada e harmoniosa, sabendo respeitar o que o corpo nos pede. Sendo que todos temos composições corporais diferentes, uma alimentação inteligente aplica o mesmo principio, ou seja, não existe uma só forma saudável de alimentação, mas sim várias formas saudáveis de alimentação, pelo que todos os estilos de alimentação são válidos, desde que saibamos escutar o que o corpo nos pede.


9. Empatia

A empatia é arte de saber o que o outro está a sentir, sem ter de o sentir, pois quando sentimos o que o outro está a sentir comprometemos a conexão assertiva com o outro.

Criar empatia permite criar relações mais saudáveis e sustentadas, com bases duradouras e com uma evolução relacional positiva.

A empatia tem algo de inato na mesma medida que é uma habilidade, ou seja, todos somos seres empáticos por natureza mas necessitamos de despertar e aprimorar a empatia.


10. Inpatia

A Inpatia é um conceito que tenho vindo a desenvolver, que nasce da observação que tenho realizado nos últimos anos e aplicado na minha vida.

Inpatia é a capacidade de entendimento interno, ou seja, entendimento próprio que traz mais autoconsciência com o objetivo da superação e evolução pessoal. Se empatia é saber sentir o outro sem ter de sentir, inpatia é saber sentir internamente (o próprio interior) sem ter de sentir, dotando-nos assim de uma capacidade de auto-observação superior, permitindo-nos tornar mestres da nossa própria vida!



Terminando, quando menciono a espiritualidade, foco-me no conceito que considero mais apropriado para a nossa experiência Humana, pois qualquer pessoa tem uma íntima necessidade de viver a vida terrestre, pois de contrário não estaríamos nesta dimensão terrestre. Nessa lógica, a Espiritualidade Humana é a ligação de cada Ser entre o corpo e a alma, sendo essa ligação equilibrada que nos transporta para a vivência da essência.


Na nossa essência está a capacidade de interagir com as pessoas e com a natureza de formas distintas mas nunca distantes, que será o mesmo que dizer que todos nós, seres humanos, estamos conectados através de uma rede energética invisível, que é a natureza, a nossa mãe.

47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page